Um novo retrato social

Escola Estadual Arnaldo Ferreira, bairro do Cohab Anil. O que deveria ser um dia normal de aula e aprendizado, se tornou palco da insegurança e violência que tomou conta da nossa capital. Comércio de portas fechadas, transporte público interrompido, escolas paradas, população em pânico. Estamos no noticiário internacional. Esse é o resultado de uma política de ausências.

O caos que a segurança pública do Maranhão vive hoje não é surpresa. As rebeliões, motins e execuções dentro dos presídios se tornaram cada vez mais comuns ao longo dos últimos meses. E, infelizmente, somos notícia também quando o assunto são os indicadores sociais que nos colocam nas piores posições em relação aos demais Estados da Federação.

Na área de segurança, segundo dados do Ministério da Justiça, são 58,4 homicídios para mil habitantes no Maranhão e apenas um policial militar para 876 pessoas. E não para aí. Somente 4,7% dos boletins de ocorrência (os chamados B.O) se transformam em inquéritos policiais, bem distante dos 11,5% da média nacional.

Os cidadãos maranhenses não podem ficar à mercê da violência. O Estado deve responder de forma eficaz para retomar a ordem e implementar políticas que garantam segurança à população. Precisaremos que órgãos internacionais intervenham em São Luís?

É preciso que o Governo do Estado reformule todo o sistema carcerário e coloque novas unidades prisionais, mais policiais, plano de cargos e salários, melhores condições de trabalho e equipamentos adequados. É preciso mais policiais circulando nas ruas. É preciso ir além.

Por isso, as oposições estão se unindo para traçar novos rumos na política. É hora de renovar idéias e projetos e garantir avanços nas áreas de saúde, educação e, principalmente, segurança. Vamos retomar o Maranhão do desenvolvimento e comemorar melhores índices sociais. A vitória que precisamos deve ter o cidadão em primeiro lugar. Precisamos vencer a violência, as desigualdades, o desemprego e tantos outros problemas que levam nosso Maranhão cada vez mais para os piores rankings nacionais. Vamos juntos mudar essa história?

* Weverton Rocha é Deputado Federal