1º de Maio: celebração das conquistas e reflexao sobre as injustiças

242

Mais que um feriado para celebrarmos uma folga. O real sentido do dia primeiro de maio é trazer à nossa memória todas as conquistas adquiridas ao longo dos anos pelos trabalhadores, mas, principalmente, para refletirmos que, apesar de todos os direitos garantidos, ainda são inúmeras as injustiças que afligem e degradam milhares e milhares de pessoas espalhadas pelo mundo.

Inúmeras e marcantes são as histórias de trabalhadores que dedicaram suas vidas em luta por direitos àqueles que trabalhavam, e eram vistos como meros instrumentos de obtenção de lucros para os seus patrões, em uma época que trabalhadores eram escravizados e massacrados, comparados a máquinas.

E foi por meio destes lutadores, dos inúmeros guerreiros que combateram fortemente as mazelas em busca do lucro a qualquer custo, que hoje o mundo pode comemorar – não somente um único dia, mas em todo o ano – as conquistas e vitórias para cada trabalhador existente. Comemoremos cada direito adquirido, mas lutemos por aqueles que ainda não cumpridos em sua totalidade. Entoemos sempre a voz que grita que nós trabalhadores não somos máquinas. Somos seres humanos, e o lucro e desenvolvimento da empresa, do país ou do mundo, deve estar sempre associado ao nosso bem estar como profissional e como pessoa.

No Brasil, como reconhecimento aos guerreiros que batalharam por cada trabalhador deste país, a Consolidação das Leis de Trabalho (CLT) foi anunciada em um dia 1º de maio. E, há exatos 71 anos, podemos contar com este poderoso instrumento de amparo e garantia aos nossos direitos.

Recentemente nosso país corrigiu mais uma falha histórica em seu território, assegurando direitos a uma classe que está presente em grande parte dos lares brasileiros. Com a PEC das domésticas, deu uma importante demonstração de valorização do trabalhador e trabalhadora que cuida dos lares de tantos outros brasileiros que saem de suas casas todos os dias em busca do pão de cada dia.

Somos conhecedores de que apesar das grandes conquistas – quando comparamos a atual realidade com os desatinos aos quais os trabalhadores eram submetidos anteriormente – ainda são inúmeros os desrespeitos sofridos por milhares de trabalhadores. Mesmo com a

abolição de uma das maiores vergonhas sociais deste mundo, que é a escravidão, vez por outra ainda somos surpreendidos pelos noticiários com vergonhosas descobertas de trabalhadores em condições análogas à escravidão, em pleno século 21, quando falamos e vivenciamos avanços nos mais diversos campos inerentes à vida em sociedade.

São muitas as conquistas, mas há ainda muito a ser conquistado. E só teremos êxito se nos dermos as mãos e lutarmos juntos por todos aqueles que impulsionam e movimentam a economia deste país e do mundo.

Juntos somos fortes!

*Weverton Rocha é deputado federal pelo PDT/MA