Em live com lideranças do PDT nesta terça-feira (14), o senador Weverton criticou o plano de privatizações anunciado pelo governo federal. “Eles vendem para a sociedade a narrativa de que somos contra iniciativas boas para o Brasil. É mentira! A agenda deles é nefasta! Temos na economia um tesoureiro que só pensa em arrecadar mais e vender nossas riquezas a preço de banana. Tem gente fora do país levando vantagem”, declarou Weverton.

O encontro virtual reuniu, além de Weverton, que é líder do PDT no Senado, o presidente do PDT, Carlos Lupi; o vice-presidente do partido, Ciro Gomes; o líder da oposição na Câmara dos Deputados, André Figueiredo; o líder do PDT na Câmara dos Deputados, Wolney Queiroz; e a presidente nacional da Ação da Mulher Trabalhista ( AMT) , Miguelina Vecchio. Os pedetistas conversaram sobre o programa de privatização que vem sendo anunciado pelo do governo do presidente Jair Bolsonaro e criticaram o fato de estar sendo proposta uma discussão tão séria em meio a uma pandemia mundial.

Na semana passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou a intenção de privatizar quatro grandes estatais, sem revelar quais, em 90 dias.

No final de junho, o Senado também aprovou o novo marco legal do saneamento básico, proposto pelo governo, que prevê a privatização dos serviços de água e esgoto. Weverton votou contra por considerar que a nova lei aprofundará as diferenças e deixará pequenos municípios mais tempo sem água e esgoto, uma vez que cidades menos lucrativas não atrairão empresas.

O senador ressaltou ainda que este não é o momento de pensar em privatização, mas sim de enfrentar a pandemia. “Estamos vivendo um momento muito difícil. A forma como está a agenda deles não dá. É uma agenda dura e sem planejamento. Além de tudo, tentam passar uma imagem de que estão fazendo algo bom para a sociedade. Isso é um absurdo”, finalizou.