Foto: Magno Romero

O auxílio emergencial de R$ 600, que pode chegar a R$ 1.200 por família, não poderá ser usado pelos bancos para pagar dívidas dos beneficiários. O pedido foi feito pelo senador Weverton (PDT-MA) em reunião com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni. No encontro, o parlamentar demonstrou preocupação com a possibilidade das instituições bancárias reterem o dinheiro.

“Os bancos não têm pena. Na hora que este benefício chegar na conta corrente do trabalhador e ele estiver com o saldo negativo, pode ser que queiram descontar. Isso seria uma grande baque”, afirmou Weverton.
O senador fez um apelo ao ministro Onyx para garantir que o dinheiro chegue aos beneficiários sem descontos. O ministro se sensibilizou e nesta terça-feira anunciou que os bancos não irão usar o auxílio para pagar qualquer tipo de dívida.

“Se tem um débito de R$ 100 no cheque especial, no banco X, os R$ 600 entra e não pode ser debitado. É um auxílio emergencial para sustentação das pessoas”, ressaltou o ministro.

Cadastramento para Auxílio Emergencial

O governo anunciou nesta terça-feira (7) que está disponível nos sistemas Android e iOS o aplicativo Caixa Auxílio Emergencial para fazer o cadastro. Para tirar dúvidas, está disponível o telefone 111. Não é preciso ter créditos no celular para acessar o aplicativo.

Quem estava registrado no CadÚnico até 20 de março de 2020 ou já recebe Bolsa Família não precisa fazer um novo cadastro. Quem precisa fazer o cadastro são os trabalhadores sem carteira assinada (informais), quem contribui para a Previdência como autônomo ou como MEI (microempreendedor individual). O cadastro pode ser feito no aplicativo https://auxilio.caixa.gov.br/