Chegamos ao final desta semana com a má notícia de que o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil teve uma retração de 0,2% no primeiro trimestre de 2019. O que isso significa? Que, com a economia estagnada, o desemprego vai continuar sendo um pesadelo para milhões de famílias brasileiras. Para reverter essa situação, o governo de Bolsonaro precisa romper sua inércia e tomar medidas de estímulo à economia e à geração de emprego e renda.

Isso precisa ser feito com urgência. Os analistas econômicos já dão o ano de 2019 como perdido e falam em alguma recuperação em 2020. Nas planilhas financeiras isso já é dramático. Imaginemos então o que representa na vida real, para as pessoas que estão desempregadas, sonhando com abertura de novos postos de trabalho para pagar o aluguel, comprar comida, sustentar a família.

É por esses brasileiros que o governo Bolsonaro precisa parar de perder tempo com polêmicas retóricas sobre nova e velha política, precisa rever os cortes em áreas estratégicas, como a educação, e precisa dialogar efetivamente com todos os setores representativos da sociedade para concentrar forças no que realmente importa, a retomada do crescimento no Brasil.

Não basta repetir, de modo quase automático, o discurso de que o Congresso precisa aprovar a reforma da Previdência, como se ela fosse a bala de prata que irá mudar esse caminho rumo à recessão. Não irá. Até porque a economia anunciada não é imediata e os cofres públicos não ficarão cheios de dinheiro no próximo ano, mesmo que ela seja aprovada.

Então, é necessário ir além: abrir novas frentes de trabalho, por meio de parceria público-privada; iniciar de forma imediata a discussão de uma reforma tributária; e estimular o empreendedorismo, tanto no campo, quanto na cidade.

Talento para empreender o brasileiro tem. Tanto que, apesar da crise e do desemprego, milhões de trabalhadores estão conseguindo levar a vida graças a pequenos negócios, informais, incipientes, porém promissores.

Apresentei no Senado um projeto de lei que institui um programa de microcrédito para jovens empreendedores. Estamos trabalhando para que ele ande e seja colocado em prática, como uma colaboração concreta para que a situação melhore, para que a vida das pessoas melhorem.

Aguardo com ansiedade, no Senado, o início de um debate construtivo para reaquecer a economia. Com seriedade e diálogo é possível construir uma saída que seja boa para todos. E isso precisa ser feito com urgência absoluta. Pois, para os brasileiros que estão desempregados, ou que lutam para se sustentar, não é possível perder nem mais um dia, quanto mais o ano.

Weverton, senador e líder do PDT no Senado