Foto: Sargento Batista/CECOMSAER, Cabo Scanavino e Soldado Borges/CLA

O senador Weverton (PDT-MA) visitou, nesta quinta-feira (25), o Centro de Lançamento de Alcântara acompanhado do ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, e de uma comitiva de parlamentares do Maranhão. A viagem tem como proposta esclarecer pontos do acordo de salvaguardas entre Brasil e Estados Unidos, que permite aos americanos fazer lançamentos de satélites no local. O tratado, no entanto, proíbe o lançamento de equipamentos bélicos.

“É uma visita importante para que a gente possa ver de perto como vai ser a exploração comercial da base de Alcântara”, afirmou o senador.

Localizada num ponto estratégico do globo, próxima da Linha do Equador, a base de Alcântara tem outras características importantes para o setor espacial. De acordo com Weverton, as condições climáticas daquele trecho do litoral do Maranhão permitem que os lançamentos ocorram praticamente o ano todo.

“Todas as caraterísticas do local favorecem o uso comercial da base de Alcântara, mas não podemos esquecer das comunidades locais. Ninguém pode ser prejudicado. Não podemos esquecer também das pessoas que saíram das suas casas quando o centro foi instalado e até hoje não receberam indenizações”, ressaltou o senador.

O Centro de Lançamento de Alcântara foi criado em março de 1983 por um decreto assinado pelo presidente João Figueiredo. O objetivo era executar e apoiar as atividades de lançamento e rastreamento de equipamentos espaciais, além de realizar e testar experimentos da Aeronáutica relacionados com a Política Nacional de Desenvolvimento Aeroespacial da época. A base tem uma área de 620 quilômetros quadrados.