Weverton diz que o Maranhão precisa conhecer a Força Estadual de Saúde

39

“O Maranhão precisa conhecer este trabalho, que alcança locais onde antes o governo não chegava, onde as pessoas eram invisíveis”, disse o deputado federal Weverton, na manhã desta terça-feira (19), em São Luís, no 2º Encontro Anual da Força Estadual de Saúde (Fesma). Ele elogiou o trabalho da equipe e disse que trata-se de uma ação importante para a inclusão no estado. “Vocês hoje conseguem levar essa mão amiga, que no momento mais difícil que o país atravessa, consegue dizer: vamos enfrentar as dificuldades de vocês juntos. E isto, em um problema que atinge toda a família, que é a saúde”, destacou.

O governador Flávio Dino disse que a Fesma é uma inovação que veio para ficar, porque complementa uma série de outras iniciativas, notadamente, o programa Mais Médicos. Segundo ele, a iniciativa ajuda a ampliar o número de profissionais de saúde a disposição da população, já que uma das carências do Maranhão é a distância entre os serviços públicos e os cidadãos, sobretudo os mais pobres: “Na medida em que promove essa aproximação, a Força Estadual de Saúde tem todo o nosso apoio e, por isto, a minha presença nos eventos anuais, como uma forma de mostrar a minha total solidariedade ao trabalho desses profissionais”.

Saúde Pública

Em um ano e meio de existência, a Fesma, coordenada pelas Secretarias de Estado Extraordinária de Articulação das Políticas Públicas (SEEPP) e de Saúde (SES), atuou de forma destacada nos 30 municípios mais pobres do estado, de acordo com o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M). Neste período, os profissionais – médicos, enfermeiros, assistentes sociais, educadores físicos, farmacêuticos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas, odontólogos, psicólogos e terapeutas ocupacionais – realizaram mais de 700 mil atendimentos e conseguiram alcançar áreas e pessoas jamais assistidas pelo poder público no Maranhão – aproximadamente 400 mil pessoas.

Já foram realizadas 25 Caravanas da Cidadania, atividade que o Governo do Maranhão vem realizando em áreas mais vulneráveis; já instituiu 28 Farmácias Vivas, faltando apenas dois para atingir 100% dos municípios envolvidos; e foram finalizados 150 planos de intervenção, que têm como foco a redução das mortalidades infantil e materna e das taxas de internação por complicações de hipertensão, diabetes e hanseníase. “Este trabalho já acumula resultados significativos, como o aumento cobertura de pré-natal, redução da mortalidade infantil e um aumento do percentual de gravidez a termo, que era abaixo de 70% e passou para 85,21%”, informou o secretário da SEEPP, Marcos Pacheco.