Reunião da Executiva do PDT Nacional

reuniao-executiva-pdt-foto-rafael-machado-2

Em reunião realizada nesta terça-feira (22), a Executiva Nacional ampliada do PDT fez um balanço das eleições municipais deste ano e discutiu a organização do partido para o pleito de 2018. Com foco na candidatura de Ciro Gomes para a Presidência da República, o presidente nacional da sigla, Carlos Lupi, convocou os dirigentes para que, em seus respectivos estados, se preparem para o maior número possível de candidaturas majoritárias.

A reunião contou também com todos os presidentes regionais do partido, que um a um, apresentaram um panorama dos seus estados. Lupi, em sua fala inicial, comemorou os números obtidos pelo PDT – que elegeu 335 prefeitos e mais de 3,5 mil vereadores.

“Estamos consolidados como o maior partido de centro-esquerda do Brasil. A candidatura de Ciro à presidência da República é irreversível e, agora, temos que nos fortalecer nos estados para levar o nosso discurso. Temos que mostrar ao povo que Ciro, de fato, é o mais preparado para se tornar presidente do Brasil”, afirmou Lupi.

O presidente do PDT Maranhão, deputado federal Weverton Rocha destacou os resultados das eleições municipais onde o partido conquistou cerca de 30 prefeituras, incluindo a capital, além de mais de 200 vereadores, 21 vice-prefeitos e diversos aliados. “O PDT nacionalmente foi o partido de centro-esquerda que mais cresceu, isso é fruto de um trabalho sério de base política, a busca constante de qualificação dos nossos quadros e o alinhamento com as questões sociais e trabalhistas”.

reuniao-executiva-pdt-foto-rafael-machado-4Ciro Gomes atacou as últimas decisões do atual Governo, afirmando que ele não possui legitimidade e que o Brasil precisa urgentemente “voltar à normalidade democrática. Estamos vivendo um momento confuso na ordem política brasileira. O Governo que está entregando nossas riquezas, como o pré-sal, retirando direitos garantidos dos mais necessitados, acabando com investimentos em saúde e educação, não foi legitimado pelo povo. Precisamos retomar a ordem democrática imediatamente”, afirmou.