RETROSPECTIVA – Weverton Rocha diz que Congresso perdeu oportunidades de mostrar sintonia com a população em 2017

Pedetista cita aumento a pena contra quem comete feminicídio e fortalecimento de rádios comunitárias entre suas proposições

(Brasília-DF, 27/12/2017) O líder do PDT na Câmara dos deputados, Weverton Rocha (MA) disse que o Congresso Nacional perdeu oportunidade importantes de mostrar sintonia com a população no ano de 2017.

Uma das oportunidades, segundo o pedetista maranhense foi afastar o presidente Michel Temer. A Câmara analisou, votou e rejeitou, por duas vezes – em agosto e em outubro – as denúncias da Procuradoria-Geral da República contra o presidente da República. A primeira vez por corrupção passiva. A segunda por organização criminosa e obstrução à Justiça.

Em entrevista exclusiva à Agência Política Real, Weverton também comentou matérias de sua autoria aprovada pela Câmara Federal este ano. O parlamentar citou a proposta que aumentou a pena contra quem comete feminicídio e a projeto de fortalecimento de rádios comunitárias. Segue a entrevista.

POLÍTICA REAL – Líder, que avaliação que o senhor faz do trabalho do Congresso este ano?

O Congresso perdeu algumas oportunidades importantes de mostrar sintonia com a população, como quando rejeitou por duas vezes a autorização para que o Supremo investigasse o presidente Michel Temer. Anunciei meu voto favorável à investigação repetindo várias vezes a importância de ouvir o que o povo dizia. Infelizmente, essa foi uma posição minoritária.

Também lamento um avanço da pauta conservadora que retirou direitos dos trabalhadores, enquanto beneficiou grandes empresários devedores com o Refis. Mas também vi pontos positivos, como a lucidez de demonstrar que não aprovaria a reforma da Previdência. Tivemos um ano em que o Legislativo foi muito refém da pauta do Executivo, mas acredito que poderemos avançar mais em 2018.

POLÍTICA REAL – Dentre os projetos/medidas aprovados pela Câmara dos Deputados em 2017, qual o senhor acha que foram de grande relevância?

Considero muito relevante a aprovação do Marco da Mineração com as mudanças feitas na Câmara. No Maranhão, foram beneficiados 20 municípios que são afetados pela ferrovia Carajás e nunca tinham recebido contrapartida. Destaco também a aprovação da PEC que reconhece a Vaquejada como uma manifestação cultural e esportiva, regulamentando uma atividade que movimenta praticamente todas as cidades do Nordeste, gerando entretenimento, emprego e renda.

POLÍTICA REAL – Das propostas de sua autoria apresentadas este ano na Câmara, quais as que o senhor destaca?

Tenho convicção de que a proposta que aumenta a pena contra quem comete feminicídio é muito importante. Lamentavelmente esse é um crime ainda muito comum e que precisa ser combativo com severidade.

Também considero relevante o projeto que veda a cobrança de taxa de religação de serviços públicos, pois essa cobrança penaliza principalmente a parcela mais pobre da população. E destaco ainda o que institui o Serviço de Radiodifusão Comunitária, para permitir a veiculação de publicidade institucional, pois o fortalecimento das rádios comunitárias é um caminho importante para a democratização da informação nas nossas cidades.

POLÍTICA REAL – O que esperar do Legislativo em 2018? Que temas de interesse do País não podem ficar de fora da pauta?

Acredito que o mais importante a ser esperado do Legislativo em 2018 é a sensibilidade de não deixar avançar esse projeto da reforma da Previdência e ao mesmo tempo de voltar seu olhar para a população mais vulnerável, que na atual política do governo federal está tendo que pagar muito alto essa conta da almejada estabilidade econômica.

(Por Gil Maranhão. Agência Política Real. Edição: Genésio Jr.)