PDT votará pela investigação a Temer

40

O líder da bancada pedetista na Câmara Federal, deputado Weverton Rocha (MA), apresentou em plenário o posicionamento do seu partido em relação à segunda denúncia contra o presidente Michel Temer. “O PDT votará contra o relatório aprovado na CCJ (pela rejeição), pois acreditamos que ninguém pode estar acima da lei, ainda mais o Presidente da República”. Para o deputado, a Câmara tem uma nova chance de ouvir a voz das ruas, onde mais de 90% da população reprovam o governo e pedem a saída de Temer. Na primeira denúncia o PDT já havia fechado questão e votado pela aceitação.

Denúncia contra Temer

O presidente Michel Temer foi denunciado pela Procuradoria Geral da República por obstrução da Justiça e organização criminosa. A denúncia, que precisa de autorização da Câmara para ter seguimento no Supremo Tribunal Federal, foi rejeitada na Comissão de Constituição e Justiça e será levada agora para o Plenário, onde para ser aceita deverá ter uma maioria qualificada. A previsão é que a votação ocorra na próxima quarta-feira (25).

Caso a denúncia seja aceita, o STF poderá investigar o presidente. Do contrário, a investigação só acontecerá quando o mandato do presidente acabar, em 2019.

Weverton Rocha conclamou a população a ficar atenta e acompanhar a votação.

Cortes nos Programas Sociais

O deputado também usou seu pronunciamento para condenar o que considera um desmonte do Estado, promovido pelo presidente Michel Temer, com a venda de ativos para pagar a dívida e cortes no social. Ele apontou uma série de retrocessos nas políticas sociais do atual Governo, como o congelamento pelos próximos 20 anos do teto de gastos na Educação e na Saúde e redução nos programas Bolsa Família, Minha Casa, Minha Vida, Farmácia Popular e Ciência sem Fronteiras. “O presidente trouxe de volta o fantasma da fome e ainda rasga a Constituição ao alterar as Leis Trabalhistas e ao propor uma Reforma da Previdência sem a devida legitimidade”, afirmou o deputado.

Vitória da impunidade

Em seu discurso, Weverton Rocha destacou também o resultado, que considerou vexatório, da votação no Senado livrando o senador Aécio Neves (PSD-MG) das medidas cautelares impostas pelo Supremo Tribunal Federal. Segundo ele, o País está perplexo diante da vitória da impunidade.