Não ao Financiamento de campanha por pessoa jurídica

O deputado federal Weverton Rocha (PDT) defendeu, na noite desta terça-feira, o fim do financiamento empresarial de campanhas eleitorais. O voto do parlamentar maranhense ajudou o plenário da Casa a rejeitar a proposta que pretendia incluir na Constituição o financiamento da campanha por pessoas físicas e jurídicas para os partidos e os candidatos, dentro de limites máximos de arrecadação e gastos de recursos que a lei deverá estabelecer para cada cargo.

nao

A proposta recebeu 264 votos favoráveis e 207 contrários, além de 4 abstenções. Mas foi rejeitada porque mudanças na Constituição precisam de, pelo menos, 308 votos a favor.

Em sua fala, Weverton enfatizou que a polarização que se apresenta no Plenário é falsa e que praticamente todos os partidos receberam recursos de origem privada em suas campanhas. “Essa polarização de dizer quem é certo, quem é errado, é falsa. Primeiro, porque a regra atual do jogo permite, sim, arrecadar com pessoa jurídica. Além do PT, que arrecadou R$ 350 milhões, o PSDB também arrecadou na campanha presidencial R$ 223 milhões”, ressaltou.

Para o parlamentar maranhense, rejeitar o financiamento empresarial de campanha e o seu barateamento, é trabalhar por um novo futuro, é corresponder aos anseios da população. ”Nós estamos tendo a oportunidade agora de ouvir a voz do povo e de dar reposta ao Brasil, tirando, de vez, pessoa jurídica das campanhas. Aqui, ninguém é contra empresário, somos contra empresas. Não dá pra CPF disputar com CNPJ”, finalizou Weverton, posicionando o voto contrário, em nome do PDT.