image

O líder do PDT na Câmara Federal, deputado Weverton Rocha (PDT), criticou, nesta terça-feira (23), a maneira como ocorreu a aprovação da nova Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2017.

O texto-base aprovado prevê um déficit primário de R$ 139 bilhões ou 2,04% do Produto Interno Bruto (PIB) como meta fiscal do governo federal para o ano que vem. Além disso, o texto atual estabelece meta de déficit de R$ 3 bilhões para as estatais e de R$ 1,1 bilhão para estados e municípios, totalizando, no conjunto do setor público (União, estados e municípios, incluídas as estatais), em R$ 143,1 bilhões (2,1% do PIB).

Na ocasião, Weverton lamentou a alteração no valor que havia sido apresentado pela equipe econômica da presidente afastada Dilma Rousseff, que previa a possibilidade de um déficit de R$ 65 bilhões para a União em 2017, menos da metade do que o apresentado pela equipe do presidente interino, Michel Temer.

“Essa Casa precisa saber que a LDO que está na pauta é prejudicial ao Brasil. Freando os gastos públicos dessa maneira, estamos tirando o dinheiro de programas sociais, da educação e da saúde. O PDT vai votar pela obstrução do texto”, asseverou.