Convenção confirma chapa com Flávio, Brandão, Weverton e Eliziane

Foto: Gilson Teixeira

Na convenção Todos pelo Maranhão, realizada nesse sábado (28), os 15 partidos que se reuniram na coligação, confirmaram o apoio à reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB), e a Weverton (PDT) e Eliziane (PPS) como candidatos ao Senado Federal na chapa majoritária, ao lado do vice-governador Carlos Brandão.

Nesta sexta-feira (27), o deputado anunciou em suas redes sociais os dois nomes que comporão sua chapa como suplentes, a ex-prefeita de Matões, Suely Pereira (PSB) e o médico e ex-prefeito de Santa Inês, Robert Bringel (DEM).

Foto: Biaman Prado

Weverton disse que acredita que além de reeleger o governador Flavio Dino, o projeto Todos Pelo Maranhão fará a maior bancada na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa. Também ressaltou que, como articulador que é, representará o estado no Senado Federal e irá buscar a união das bancadas de deputados e senadores para ajudar a trazer recursos para o Maranhão. “Tenho muito o que contribuir e tenho certeza que lá irei ajudar muito o estado do Maranhão, os municípios e o nosso povo trabalhador, trazendo recursos e programas para ajudar a melhorar a vida das pessoas”, disse.

“O Brasil vive um momento difícil de desorientação e, por isso, é importante dar continuidade ao trabalho que fazemos juntos no Maranhão”, falou Flavio Dino.

PT

Antes da convenção Weverton esteve na sede do PT, no Cohafuma, onde com toda a militância reunida, o partido ratificou o apoio às candidaturas de Flávio Dino e de Weverton, anunciado pelo presidente Augusto Lobato na sexta-feira (27), na Assembleia Legislativa. “Estamos convocando a militância, para que a gente faça desta campanha, da eleição dos companheiros Flávio Dino e Weverton, fundamental para o nosso projeto de melhorar a qualidade de vida do povo do Maranhão”, disse Lobato, ressaltando que o partido está unificado neste objetivo.

“No campo político, PDT, PT e PCdoB, são partidos, que no momento mais difícil que o país está vivendo, têm orgulho da sua história e da sua trajetória de luta e de resistência em defesa dos nossos trabalhadores e dos menos favorecidos”, disse Weverton. Ele lembrou que os três partidos estiveram juntos contra o golpe que se aplicou no país e na oposição à retiradas de direitos dos trabalhadores, mantendo-se até hoje nessa trincheira, não só na Câmara dos Deputados, mas em todos os movimentos sociais do Brasil. “Esperamos que agora, nesta eleição, o povo recomponha os espaços verdadeiros e legítimos de poder, sendo representados por pessoas, que, de verdade, estejam lá para olhar por eles e não para se fazer este massacre que vem sendo operado em pleno século 21, em que se acha que desenvolvimento é enfraquecer justamente os da ponta, aqueles que ajudam a sustentar o país”, pontuou.

Histórico de luta

Presidente do PDT no Maranhão, Weverton iniciou sua trajetória política aos 16 anos na Juventude Socialista do partido, sem nunca ter mudado de legenda. Foi assessor especial da Prefeitura de São Luis, secretário de Estado de Esporte e Juventude e, assessor especial do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), tendo, em 2011, assumido como deputado federal na condição de suplente. Reeleito em 2014, tem como marca na Câmara Federal uma atuação em defesa dos direitos dos trabalhadores e dos interesses dos municípios e do Maranhão. E, por suas posições fortes e capacidade de conciliação, no início deste ano foi indicado por unanimidade a ocupar a liderança da Minoria, bloco parlamentar de maior representatividade de partidos em oposição ao Governo Temer. Também foi eleito por dois anos consecutivos – 2016 e 2017 – líder da bancada federal pedetista.

É o único maranhense apontado por três anos consecutivos – 2015, 2016 e 2017 – como um dos “100 Cabeças do Congresso Nacional”, em uma lista divulgada pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), que anualmente classifica os 100 parlamentares mais influentes entre deputados e senadores. Ainda no e-ranking Cidadão, lançado em junho deste ano pelo Laboratório de Estudos Político-Sociais (LABEP), é o segundo melhor colocado, perdendo apenas para o ex-ministro de Desenvolvimento Agrário Patrus Ananias (PT-RJ). O estudo avaliou os 513 deputados federais e 81 senadores, usando como principal critério o engajamento em projetos que eram de interesse da sociedade.