Avanços e desafios na Educação de São Luís

321
ideb-sao-luis-artigo-wr
Foto: Mauricio Alexandre

Foi divulgado nesta semana, um dos indicadores mais importantes da educação brasileira: o Índice Nacional da Educação Básica (Ideb). Os resultados monitoram os avanços e retrocessos da área no País. A divulgação da pontuação, em São Luís, foi recebida com entusiasmo pela gestão municipal e toda comunidade escolar, pois mostrou que a educação avançou nos últimos anos, reflexo das medidas adotadas pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), que possibilitaram o progresso na aprendizagem dos alunos.

Os números não me deixam mentir. Conforme destacado no portal do Inep, as primeiras séries do ensino fundamental da rede municipal de São Luís pularam de 4,1, em 2013, para 4,5, no ano passado. No mesmo período, as últimas séries do Ensino Fundamental passaram de 3,7 para 3,9. Com esse crescimento ascendente, os estudantes do 9º ano obtiveram a terceira maior nota entre as capitais do Nordeste, à frente de cidades como Recife, Salvador e Natal, por exemplo.

Um outro ponto que merece destaque foi quanto ao desempenho dos alunos, considerado o melhor já obtido por São Luís para os anos iniciais desde que o Ideb começou a ser usado para medir a qualidade da educação brasileira. É motivo de comemoração o fato da capital maranhense ter diminuído a diferença significativa dos desempenhos dos dois ciclos do fundamental, uma vez, que nosso sistema educacional não recebeu o devido comprometimento de gestores anteriores. Não existiu o mesmo engajamento e mobilização naquele período, quando o Ideb caiu de 4,3 em 2009, para 4,2 em 2011, em relação aos anos iniciais.

Não é por acaso que se chega a estes índices. É importante salientar que os números refletem um cenário onde temos, reconhecidamente, muito esforço do prefeito Edivaldo. Aqui, elenco uma série de mudanças que foram primordiais para o início do ano letivo de 2013, como o pacto com professores e Ministério Público, além de inúmeras intervenções emergenciais que garantiram o reinício do calendário escolar. Vale acentuar ainda a valorização dos professores, com mais de oito mil direitos estatutários implantados, e as reformas estruturantes que fazem a diferença para o aluno efetivamente aprender.

O desafio, agora, é manter os avanços conquistados e focar na solução de outras deficiências da educação ludovicense. A gestão de Edivaldo, assim como a gestão do saudoso líder pedetista, Jackson Lago, que deixou um grande legado, provou ser eficiente e que tem o compromisso de melhorar a qualidade da Educação em São Luís.